Harry Potter e a Ordem da Fênix, de J.K Rowling

O quinto volume da série Harry Potter traz a mais longa das aventuras do bruxo mais querido e a morte mais triste em minha opinião. Tão pouco é cansativo ou chato.


[Pode conter e vai conter SPOILERS]

"Todos temos o bem e o mal dentro de si, mas o que realmente importa não são as semelhanças e sim as diferenças."

Título: Harry Potter e a Ordem da Fênix
Autora: J.K Rowling
Páginas: 703
Editora: Rocco

Aos quinze anos, Harry está longe de ser o garoto que tremeu sob o chapéu seletor em A Pedra Filosofal. De fato ele continua sofrendo com o tratamento dos Dursdley e com ordens para ficar em casa e não se meter em confusão, este está sendo o seu pior verão, fazendo com que ele fique prestes a explodir. O que acontece várias vezes ao longo das páginas, com Rony, Hermione e até mesmo com os professores. Confesso que isso me irritou um pouco no começo, ele está insuportável.

Durante o livro algumas dicas vão surgindo, como o verdadeiro papel de Snape (cobra), o fato de os pais do Harry terem sido parte da Ordem da Fênix, a exploração da história da mesma, e de sua vizinha, a estranha e chata Senhora Figg ser na verdade uma bruxa abortada, servindo como guarda-costas todos esses anos a Harry.

Somos apresentados a uma nova professora de Defesa Contra Artes das Trevas, Dolores Umbridge, que é enviada pelo Ministério da Magia à Hogwarts, atuando diretamente como interventora no ensino da escola. Ela vai mudar a vida de alguns professores, alunos, do campeonato de Quadribol e vai infernizar principalmente a vida de Harry.

Uma profecia aparece neste livro que diz que somente Harry poderá matar Voldemort ou vice-versa. Ela explica muitas coisas, mas abre portas para mais interpretações sobre outros fatos. E é devido a esta que há uma grande batalha.

Sobre a morte de um personagem querido e amado por mim, onde a própria autora afirmou ter chorado durante a escrita do capítulo em questão, o que posso dizer é que a vítima não é um personagem novo, como o Cedrico no livro anterior. É uma perda série tanto para Harry, quando para toda a história.

A relação entre Harry e Sirius está mais próxima e cheia de compaixão entre ambos. O que me encantou também foram às amizades do trio Harry, Hermione e Rony e como foi aprofundando novos personagens ao seu redor, como Gina, Luna, Neville e até mesmo Fred e Jorge. As aventuras da Armada de Dumbledore rendem ótimos capítulos. Hagrid está mais misterioso que nunca, escondendo um segredo que não compartilha até mesmo com seus amigos.

Posso dizer que a J.K Rowling conseguiu despertar todo tipo de sentimento em mim nesse livro. Ela teve a façanha de me envolver profundamente com a história. Emocionei-me muito. Chorei, senti raiva, revolta, agonia, ansiedade e alegria ao decorrer da leitura.

[Spoiler do livro mesmo + desabafo]

Vale ressaltar um dos capítulos finais onde Dumbledore explica muitas coisas a Harry, o que faz deste um dos mais emotivos de toda a série. Ele que já havia perdido os pais, um amigo, agora também perde Sirius, (Sim é impossível não falar sobre isso). Esta morte é mostra o que realmente está em jogo, que nem todos vão chegar vivos ao final.

Mesmo sabendo disso, foi um choque e continuo achando desnecessário, pois há outra grande morte no livro posterior. J.K Rowling deveria ter escolhido um dos dois, e obviamente que nesta minha versão o Sirius está super vivo. Confesso que chorei muito, pois o ele é o meu personagem favorito. Eu me apaguei tanto a ele como o Harry. Foi horrível e como estou na leitura do último livro neste momento, eu fico sempre esperando que ele resurja. #VOLTASIRIUS


[Fim do Spoiler vulgo desabafo]

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.